sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Dicas para melhorar a relação entre o cão e o carteiro

Quem nunca ouviu a frase “cachorro não gosta de carteiro?” É muito comum e parece ser realidade, tanto que já teve campanha dos Correios pedindo ao morador para facilitar o local de entrega de correspondências para que seja evitada a aproximação do carteiro ao cão.


A relação entre cães e carteiros é uma das mais comuns entre as que geram problemas para os proprietários  de cães. Embora muitas pessoas considerem que esse comportamento seja normal para proteção territorial, ele pode provocar graves acidentes também. E é nossa responsabilidade zelar para que nosso cão não machuque esses profissionais, nem qualquer outra pessoa.

Atenção aos Carteiros

Carteiros enfrentam diariamente situações de risco com cão . Para se proteger , alguns cuidados são importantes:
1- Nunca proteja o corpo , a mão ou o braço para dentro de um imóvel sem ter certeza de que não há animais.Aproxime-se sempre com cuidado , pois os cães podem estar escondidos atrás de folhagens ou muros .
2-Nunca provoque um cão com gritos , gestos ameaçadores ou barulhos altos! A sua presença já é uma ameaça ou estímulo para o cão ficar agressivo .
3- Mesmo um cão preso , caso provocado , pode se soltar e causar sérios  problemas !
4- Quando há animais soltos , evite passar próximo a ele .
5-Fique atento , fêmea com filhotes e animais machucados ou com medo são potenciais agressores .
6-Nunca confie num cão desconfiado, por menor ou mais inofensivo  que ele pareça.
7-E caso de perigo , proceda conforme orientação da empresa de correios para registrar a impossibilidade de realizar a entrega da carta , Não coloque sua saúde e sua vida em risco !



Responsabilidades do dono do cão

1- Esteja alerta para evitar que seu cão ataque outras pessoas ou animais.
2-Em casa , sinalize a presença de animais com uma placa " Cão Bravo ".
3- Instale a caixa de correspondência junto  ao portão , grade ou muro .
4-Ao passear com seu cão , use sempre coleira , guia e focinheira.
5- O cão não pode ser responsabilizado pelos seus atos . A responsabilidade é sempre do proprietário!
6- O  responsável  pelo animal que esteja solto ou guardado sem o devido cuidado responde civil  e criminalmente  por qualquer dano que ele cause a outra pessoa .
7-O cão aprende a se comportar como você permite .Cuide para ele ser um bom companheiro !
8- Se seu cão apresenta um mau  comportamento , procure  um profissional  ( Adestrador de cão ).




quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Dicas saudáveis para educar seu cão







Mantenha  seu cão sempre dentro de casa , jamais solto  na rua, todo cão precisa passear ,mas sempre
usando coleiras / guia  e levado por alguém que consiga segurá-lo.
Cuide da saúde do seu animal : ele precisa de abrigo , alimento, banho, vacina, e acompanhamento de um veterinário.
Dê atenção , carinho e ambiente adequado a ele.
Nunca seja violento com seu bicho . Violência  não educa !
Se preciso , procure adestramento ,mas respeite as características de cada animal .
Assim como maus tratos , muito mimo também pode prejudicar seu cão .Deixe claro o que ele pode ou  não fazer , por exemplo : chame atenção quando subir nos móveis ou lugares proibidos . Sem limites , ele pode achar que domina o dono.
Se você não pode cuidar de mais filhotes ,castre os machos e fêmeas para evitar ninhadas.A castração é a única forma de evitar novas crias e não tem contraindicações.Consulte um médico veterinário de confiança.




quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Como cuidar dos dentes do pet

Levar para passear, alimentar, dar água, brincar, limpar, encher de carinho… Quem tem cão e gato sabe de cor a lista de cuidados necessários com seus bichinhos. Pouca gente, porém, se lembra da higiene bucal, que também deve ser diária e é essencial para a saúde de cães e gatos . Assim como nós, eles precisam ter os dentes escovados todos os dias.


Como eu sei se a gengiva dele está saudável?

Ela deve ser uniforme e ter a mesma altura em toda a boca – escondendo a raiz, mas sem ultrapassar o meio do dente. Não pode estar inflamada nem sangrar com facilidade.

Por que limpar os dentes do meu pet?
Sabe aquela placa amarela que você já deve ter visto na boca de alguns cães e gatos? Aquilo é tártaro. Do tártaro pode ocorrer o famoso “bafo de onça”, uma infecção na boca e levar bactérias para os outros órgãos do organismo, como fígado e coração. Pode até matar! Além disso, têm as doenças comuns nas bocas como a gengivite e a periodontite.
Como o cão o gato  não tem como enxaguar a boca de cuspir, a sua pasta de dente é especial e pode ser ingerida. nunca  use a pasta de dentes humana, pois pode fazer mal ao cão e gato.

Quando começo a escovar os dentes do meu pet?
Quando ele ainda é filhotinho. Quanto mais cedo, mais fácil será de acostumá-lo com esse procedimento. Além disso, é uma maneira de você criar mais intimidade com o pet e de aumentar ainda mais a relação de confiança entre vocês.

Como fazer isso?

Cachorro


Escolha um lugar tranquilo e reserve um tempo para a atividade;
Pegue o seu peludo e os materiais e vão para esse espaço da casa que é mais calmo;
Por três dias apenas passe um pouquinho da pasta dentro da boca dele;
Depois desses 3 dias, por 5 dicas coloque um pouquinho de pasta no dedo e massageie a gengiva do cão, com cuidado. Faça isso por uns 10 segundos;
Lembre-se de sempre deixa-lo a vontade, faça carinho e deixe que ele entenda que esse é um bom momento entre vocês;
Passados esses 8 dias iniciais, comece a usar a dedeira. Vá aos poucos. Esfregue um pouco da boca e se ele relutar, o deixe brincar, no dia seguinte esfregue o outro canto da boca e vá aos poucos, até que ele aceite melhor o procedimento;
Pare sempre antes de ele ficar irritado. Aos poucos ele vai se acostumando;
Sempre use pouca pasta e depois que ele já tiver se acostumado, faça a escovação duas vezes por semana.
Se seu cão for adulto já, pode ser que a tarefa fique um pouco mais difícil, afinal, ele não está entendendo o que está acontecendo. Tenha calma.

Gato



Acostumar o gatinho a ter os dentes escovados desde filhote como dito antes  é a melhor forma da paz reinar em seu lar e o procedimento se tornar um hábito. Caso seu bichano demonstre certa aversão ao ato de escovar os dentes, não faça nada na marra para não traumatizá-lo. Vá por etapas:
 converse com seu gatinho e trate-o com todo carinho do mundo durante todas as etapas;
 nos primeiros dias, acostume-o a ter a boca manipulada por você usando seu próprio dedo molhado com algum alimento que seu gato goste muito (pode ser o caldo dos sachês de ração úmida, por exemplo) e esfregue sua gengiva e dentinhos levemente, com movimentos circulares;
 depois que ele aceitar o procedimento acima, comece a fazer a mesma coisa mas, desta vez, com uma gaze envolvendo seu dedo (sempre umedecida com água ou caldinho de sachê ou similares);
 a terceira etapa é introduzir a escova de dente na vida do seu gatinho, deixando ele brincar com o objeto, mordendo e lambendo as cerdas para se acostumar com a textura (pode colocar comidinha nela também);
 em seguida, apresente o creme dental para o seu gatinho  você deve utilizar uma pasta de dente específica para animais, vendida em lojas especializadas
 caso seu bichano aceite melhor, no lugar da escova, você também pode usar dedeiras feitas especificamente para higiene oral de cães e gatos;
 faça o procedimento uma vez por dia, todos os dias, para todo o sempre.
Sempre leve o seu cão  e gato ao médico veterinário para uma avaliação. Algumas vezes, a remoção das placas se faz necessária por esse profissional.

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Pássaro Preto (Gnorimopsar Chopi)

Pássaro Preto
Origem : Brasil
Características : Apesar de seu nome científico , este pássaro não é chupim ou chopim ( Molothrus bonariensis)  cujo o macho é preto azulado e a fêmea  amarronzada . É também conhecido por Melro ou Graúna .




Reprodução : Aos 18 meses de vida já estão prontos para a reprodução . A fêmea coloca de 2 a 4 ovos e o período de incubação é de 14 dias em média .
Manutenção : O ideal é a utilização de viveiros espaçosos , com  galhos e árvores para que possam desenvolver-se bem e com saúde. Pendurar alguns ninhos do tipo caixa , com uma única abertura e fornecer folhas de palmeira e capim para a confecção do ninho.
Alimentação : Ração específica para a espécie (encontrada em lojas especializadas), alpiste,frutas e verduras 2 ou 3 vezes por semana ( nunca dar alface)


quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Gato tem 7 vidas ?

Você já deve ter escutado alguém dizer que ‘gato tem sete vidas’. Na realidade, o gato tem apenas uma que dura, em média, 14 anos. Assim, a expressão é considerada superstição, que surgiu a partir de lendas muito antigas, provavelmente inspiradas pelas características do felino.Ainda é um mistério a origem dessa lenda, mas acredita-se que essa fama é devida tanto ao seu eficiente sistema imunológico, quanto a sua agilidade.


Dificilmente um gato se machuca, dificilmente um gato fica doente.Não há diferença de habilidades entre o macho e a fêmea. O gato, porém, tem o corpo mais desenvolvido do que a gata, com a musculatura e o volume das bochechas (para defesa contra patadas na face) maiores.


Um dado interessante sobre essa lenda é que ela varia de país para país.
Nos países de língua inglesa, por exemplo, a lenda diz que são 9 vidas.
Isso depende na verdade do significado cultural do número para cada sociedade.
As referências de 7 vidas para o gato são culturalmente atribuídas aos árabes e turcos, que podem ter repassado aos portugueses e espanhóis.


segunda-feira, 5 de setembro de 2016

O abandono

O abandono de animais de estimação é um enorme problema em todo o mundo. Há uma infinidade de cães e gatos  carinhosos que estão nas ruas ou nos abrigos porque foram abandonados por seus proprietários.

Os motivos para o abandono são vários: viagem de férias e ninguém para abrigar o animal, desistência do “brinquedo”, o trabalho gerado pelo animal, uma eventual deficiência física ou doença, problema de comportamento e outros. É sempre o mesmo artifício: à noite abandonam nas portas de faculdades ou de hospitais veterinários, nas clínicas, nos parques municipais ao amanhecer, ou mesmo à plena luz do sol, nas feiras e parques da cidade. Nos pet shops, geralmente entregam o animal para um procedimento, fazem mil recomendações e nunca mais retornam, deixando o mascote para quem se interessar.as soluções para minimizar a questão do abandono de animais existem e são possíveis, embora ainda com certa dificuldade, de serem implementadas na prática.


 A conscientização da população acerca da guarda responsável de animais domésticos seria o primeiro passo. Políticas governamentais, públicas e privadas que vissem a castração como medida efetiva para o controle populacional de cães e gatos, educando crianças, jovens, adultos e idosos em relação à responsabilidade de ter um animal e zelar por sua segurança durante toda a sua vida. Orientar quanto aos riscos da compra de filhotes em feiras de animais e pet shops, com estímulo à adoção  através de campanhas de doação, ou então orientando a compra apenas de animais de ótima procedência vindos de criadores sérios que se preocupam com genética e estudo da raça. Realizar campanhas de castração em massa a baixo custo, estimulando a adesão da população e mostrando os efeitos benéficos deste procedimento nos cães e gatos e evitando assim cruzas acidentais e totalmente desnecessárias e a proliferação indiscriminada de mais animais, bem como a transmissão hereditária de doenças de cunho genético.


Todas estas medidas trariam resultados à curto, médio e longo prazo, com diminuição visível do número de animais maltratados e abandonados, recolhidos em CCZs e abrigos, assim como redução dos índices de zoonoses por eles transmitidas. Trariam benefícios imediatos à milhares de cães e gatos que sofrem diariamente com os maus tratos e a triste vida nas ruas, provendo à eles um lar saudável, com carinho, segurança e proteção. Por fim, não deixariam de beneficiar todas as pessoas que, direta ou indiretamente, estivessem envolvidas nesse processo de contribuir para retirar um animal das ruas e fazê-lo feliz para sempre. Pois ao adotarmos um animal, não ganhamos apenas aquela sensação indescritível de dever cumprido, mas também um companheiro leal e carinhoso que nos protegerá sempre. Um amigo de verdade que nos trará felicidade e nos dará o privilégio de sermos amados incondicionalmente, nos transformando em pessoas melhores e ainda mais humanas.


quarta-feira, 17 de agosto de 2016

A prática de cortar a orelha e o rabo do cachorro é prejudicial


Infelizmente, muitas raças tem como “padrão” o corte de orelhas e/ou rabo.
Associada a questões estéticas adotadas desde a antiguidade, o corte da cauda era feito para ajudar os cães em batalhas e para diminuir a área de contato com o adversário. Cortadas a cauda e as orelhas, os donos acreditavam podiam evitar ferimentos e, com o passar dos anos, algumas raças definiram estes hábitos como um padrão.

Conhecida como caudectomia, a amputação parcial ou total da cauda do cachorro é uma medida totalmente estética de seus donos e não tem funcionalidade alguma para o cão.
Por ser uma extensão da coluna vertebral do animal, a cauda é formada por várias vértebras pequenas que contém inúmeras terminações nervosas. É uma parte muito sensível do corpo do animal .
A cauda é um meio do animal estabelecer comunicação, seja com outros animais, seja com você, dono dele. Repare como ele a abana, quando está feliz, ou quando a abaixa, ao sentir medo. Uma cauda levada de um lado a outro pode significar alegria, mas também uma certa agressividade.
Além disso, a cauda tem uma outra função muito importante: ela serve para ajudar no equilíbrio do cão.
O corte total ou parcial da cauda é feito a partir do terceiro dia de vida do filhote e mesmo sendo uma prática não recomendada muitos donos de cães de raça ainda o fazem. Muitos acreditam que a cauda íntegra prejudica o pedigree do cão e a sua participação em feiras e exposição.


 O corte de orelhas e cauda está proibido no Brasil
No  Brasil o Conselho Federal de Medicina Veterinária proibiu, desde 2008, a Conchectomia (cirurgia para o corte de orelha) e Caudectomia (cirurgia para corte da cauda) – salvo em casos extremos, como em animais com tumores nessas regiões ou com acidentes que levem a amputamento.
Pela lei, qualquer tipo de procedimento nesse sentido, sem a devida justificativa legal,  é considerado crime!
Leis semelhantes existem nos EUA e Europa. Inclusive, se você tiver um cão de cauda cortada terá problemas para entrar em alguns países, como a Alemanha. Caso seu cão seja mais velho, e tenha a cauda cortada, fique atento ao viajar. Isso pode ser um problema.


quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Animais domésticos estão mais obesos

A obesidade não é mais apenas um problema humano: também ocorre em animais, principalmente, em animais domésticos. Os animais estão ficando cada vez mais gordos e obesidade é uma doença.
Assim como a obesidade nas pessoas, a obesidade em animais de estimação pode causar problemas graves, incluindo :

Osteoartrite
Resistência à insulina e diabetes tipo 2
Pressão Alta
Doenças Cardíacas e Respiratórias
Dano do Ligamento Cruzado Cranial
Doença Renal
Muitas formas de Câncer
Diminuição da expectativa de vida


A falta de exercício e a alimentação inadequada são dois fatores que contribuem para a obesidade em animais de estimação. Animais de estimação precisam de pelo menos 30 minutos de exercício por dia, mas isso não significa colocá-los no quintal para dar voltas. Animais de estimação precisam ser ativos, e eles podem ser grandes companheiros de malhação.


Os Erros mais comuns

Alimentação desequilibrada:  É natural querer dividir as guloseimas, como pães, queijos e doces. Também é um pouco difícil administrar a quantidade de petiscos, como biscoitos, bifinhos e ossos quando sabemos que eles se deliciam com cada um deles.
Falta de exercício já falado lá em cima : quanto mais se come de forma errada e não realiza a prática de nenhum tipo exercício, maior será o acúmulo de gordura no corpo, podendo desencadear sobrepeso e, posteriormente, a dificuldade de locomoção e suas consequências.

O Tratamento

A primeira providência a se tomar é consultar o veterinário de sua confiança para verificar se realmente o seu pet está com o peso acima do adequado para a raça e o tamanho dele.
Dieta é fundamental: há várias opções de ração light no mercado, que ajudam a controlar a obesidade e a diminuição do peso. É importante aprender a dosar a quantidade de ração de acordo com o estipulado pelo fabricante ou pelo veterinário.
Nada de agrado excessivo: os petiscos devem ser dados, no máximo, duas vezes por dia.
Atividade física:  Para gastar toda a energia acumulada e evitar que ela vire gordura .Recomendados 150 minutos de exercício por semana . Você pode levá-los em uma caminhada, ir nadar e/ou jogar bola ou Frisbee. Existem muitas atividades caninas que você pode se envolver com o seu pet , como mergulho da doca, exercícios de agilidade, percursos da chamariz e de obediência. Estas atividades não só são fisicamente estimulantes, mas também estimulam o seu amigo canino mentalmente. Se você tem um gato, atividades como brinquedos com penas, bolinhas ou ponteiros laser são ótimas opções para ajudar o seu amigo felino a permanecer ativo.
Controle hormonal: se, mesmo com a dieta e os exercícios ele continuar com sobrepeso, valer fazer um acompanhamento metabólico com o seu veterinário, para analisar os níveis hormonais, de colesterol e de triglicérides.


quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Animais tem síndrome de down?

A síndrome de Down não ocorre somente nos seres humanos, ela pode e já ocorreu em outros mamíferos, e não tem cura. Os tratamentos médicos servem para prevenir e amenizar os sintomas causados por ela e para possibilitar que os portadores da síndrome possam levar uma vida normal.
Cães e gatos que tem a  síndrome de Down, possuem olhos grandes e redondos em comparação com os olhos dos outros, a forma da face também pode ser diferente. Se comportam de forma anormal em comparação com outros. Gatos são conhecidos por serem muito ágeis e graciosos, mas os que têm síndrome de Down são desajeitados e instáveis. Eles têm má coordenação e podem esbarrar e cair constantemente. Eles também desenvolvem hábitos estranhos como sentar ou miar de um jeito diferente dos outros.


Como os seres humanos eles também são afetados na socialização. Quando a maioria dos gatos não aceitam facilmente novos companheiros, eles tendem a ser mais amigáveis. Eles também parecem não responder ao serem chamados ou repreendidos.
Os cães e gatos também podem desenvolver os mesmos problemas de saúde que um humano que sofre de síndrome de Down, como problemas cardíacos. Alguns têm problemas de visão e a ​​musculatura fraca.



Tratamento
Infelizmente não há tratamento disponíveis para curar defeitos genéticos em cães ou gatos . Apesar disso , o dono do animal pode dar-lhe uma vida tão normal quanto possível dando especial atenção a alimentação , promover estímulos com brincadeiras , passeios ( no caso  do cachorro ) a companhia de outro animal também pode beneficiar  e visitas regulares a veterinário . Este último passo é importante  já que esses animais tem saúde frágil .


terça-feira, 2 de agosto de 2016

Sabe o que é um dog walker ?

Já ouviu falar em dog walker?  Um dog walker é uma espécie de acompanhante de caminhada para o seu cão. Se você mora em apartamento e trabalha o dia todo, ou por qualquer outro fator, e não tem tempo para sair para levar seu cão para caminhar, dog walker é de grande ajuda.
Seu cão precisa exercitar-se, tanto pela saúde quanto pelo gasto de energia acumulada, especialmente para cães que vivem em apartamentos e não tem espaço para correr e brincar. Se seu cachorrinho é um desses casos, saiba que é fundamental que ele tenha essa rotina de caminhada e é aí que entra o trabalho do dog walker, ou o bichinho pode ficar estressado num ambiente no qual fique preso e isso afetará não somente o comportamento dele, mas também a saúde.


O que é um Dog Walker?
A profissão de dog walker tem um conceito norte-americano, no Brasil pode ser chamada de passeadores de cães. Esta atividade consiste em levar os animais para caminhar durante um determinado período do dia, tendo como objetivo promover a prática de exercício físico, deixá-los à vontade para realizar as suas necessidades ou adestrá-los.
O dog walker que se dedica exclusivamente à profissão trabalha durante toda a semana, alternando os dias que passeia com cada cão. O profissional desta área tem que ter características específicas para trabalhar com cachorros como, por exemplo, conhecer o comportamento de cada raça, como adestrar os animais, ser responsável e ter força para conseguir segurar os impulsos dos animais de grande porte durante os passeios.
Embora possa parecer uma profissão relativamente “simples”, deve-se ter experiência e estudar a profissão. Existem cursos específicos para dog walker, ensinando como trabalhar com cada cão e as formas de se portar. Lembre-se, estamos falando de um ser vivo muito sensível, a forma de comportamento de quem está passeando é decisivo no comportamento dos animais.

Quais as vantagens de ser um Dog Walker?

Você quer trabalhar com o que gosta e ser o seu próprio chefe? Ser um dog walker te proporciona estes privilégios. Nesta profissão, você tem uma liberdade relativa para trabalhar, basta conciliar a sua disponibilidade de acordo com a agenda dos clientes, além de construir as suas próprias regras de trabalho.
Uma das principais vantagens de ser um dog walker é o baixo custo de investimento desta atividade. Para ingressar nesta área você não precisa de um escritório ou de qualquer estrutura, uma vez que a rua é o seu campo de trabalho, ou seja, onde os cães serão levados para passear. O atendimento aos clientes pode ser feito na sua própria casa, usando um número de telefone e páginas nas redes sociais para divulgar o serviço. Para trabalhar você necessitará de um bom tênis e roupas confortáveis para caminhar.

Como ser um Dog Walker

A atividade de um dog walker é bem simples, mas é necessário saber como estruturar o seu negócio corretamente para prestar serviços de qualidade e torná-los altamente requisitados pelos donos dos cachorros.
Conseguir a confiança dos donos dos animais pode ser uma tarefa bem complicada, principalmente porque existe um grande afeto entre dono e cão, ou seja, caso ocorra qualquer imprevisto é provável que você terá grandes problemas de relacionamentos com o patrão. Contudo, também podemos destacar que, quando o dog walker trata com carinho e cuidado os animais, rapidamente se consegue fidelizar os donos.

Faça um curso de adestrador de cão para Dog Walker

Um dos requisitos básicos para trabalhar como dog walker é ter conhecimentos sobre todas as raças de cães e os seus respectivos comportamentos. Para obter esta preparação o mais recomendado é fazer um curso de adestrador de cães, que é oferecido em diferentes modalidades, desde as básicas até as mais avançadas.
Um curso básico de adestramento de cães tem duração de um a dois meses, sendo possível aprender as principais atividades a serem desenvolvidas com os animais. O valor do curso de adestrador de cachorro gira entre R$ 50 reais e 400 reais, dependendo da grade curricular e da duração. Para quem deseja poupar tempo e dinheiro, uma alternativa é fazer os cursos disponíveis na internet, que são mais baratos e muito funcionais para ensinar o básico aos profissionais dog walker.
Contudo, é importante frisar, no curso presencial você terá um contato direto com os animais, algo mais prático, o que costuma trazer melhores resultados ao profissional de dog walker.

Determine o preço dos seus serviços como Dog Walker

Quanto custa um dog walker?Esta é uma pergunta bem comum de se ver. O preço dos serviços do dog walker deve ser cobrado por cada cão do cliente, de acordo com o tipo de atividade desenvolvida e o tempo gasto. Em um passeio básico de 40 minutos com um de pequeno porte o profissional pode cobrar R$ 20 reais. Se você atender 4 cães ao mesmo tempo, o rendimento será de R$ 80 reais.
O valor cobrado para o passeio com animais de grande porte está entre R$ 40 reais e R$ 60 reais. Um profissional que está ingressando nesta área realiza uma média de três passeios por dia, podendo ter um rendimento financeiro diário de R$ 200 reais a R$ 300 reais.