terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Os cuidados que um dono deve ter , quando leva seu cão para praia

Sol, mar, diversão. O verão  chega com promessas de diversão para toda a família, inclusive para os animais de estimação  que, muitas vezes, acompanham seus donos em viagens e idas à praia. No entanto, antes de soltá-lo na areia, é preciso tomar certos cuidados para garantir que o passeio de verão não se torne um problema. O dono  pode até achar que a areia e o mar são inofensivos, mas o ambiente pode oferecer vários riscos para o animal.



Escolha um local na praia  próprio para cães

 Verifique sempre a regras locais   — geralmente disponíveis publicamente — para ter certeza de não há problemas em levar o seu cão para a praia.Nem toda praia permite a entrada de cachorro .

Mantenha a praia limpa
Não é porque você viu a  praia suja  que não tenha que fazer  sua parte,  por isso não esqueça de  levar o saquinho para recolher as fezes do seu cão. Tente impedir que ele suje a praia, mas no caso de acontecer é necessário recolher.
Pessoas frequentam a praia e se deitam e brincam na areia, é importante respeitar esse espaço público e mantê-lo agradável para todos.



Hidrate e proteja seu cão
Com o sol forte e as brincadeiras seu cão vai ficar muito cansado, ele precisa ser hidratado o tempo todo para não ficar doente, seu cão vai sentir sede . Jamais esqueça do protetor solar no caso de passeios na praia.Entenda que você nunca deve usar protetores comuns, precisam ser especiais para cães, que você pode encontrar na maioria da pet shops e até em lojas online.
Tente mantê-lo protegido na sombra, claro que ele vai brincar, mas se você encontrar um lugar com sombra esse é o mais indicado para ficar, mesmo que próximo, assim ele poderá descansar e se hidratar na sombra.
Leve uma toalha para secar ele, mesmo que tenha pelo curto, o cão vai precisar ser seco se você deixa-lo entrar no mar. Tente tomar cuidado para que ele não se afaste de você. Se resolver dar uma caminhada pela faixa de areia ou calçadão, opte por andar com ele na guia, para respeitar os outros frequentadores da praia e evitar acidentes, que até seu cão possa se machucar.

Seu cão pode ficar doente por ir à praia
Diversos fatores que envolvem um passeio à praia podem ocasionar uma doença no seu cão mais do que se ele for a outro passeio. Isso porque a areia e o mar podem desencadear problemas de saúde.
Quando você dá banho no seu cão, você toma cuidado para a água não entrar nos ouvidos, isso não vai acontecer na praia, enquanto ele se diverte na água do mar, água pode entrar nos ouvidos dele e provocar uma otite, que é uma infecção no ouvido.
Os olhos podem desenvolver irritação por conta areia, sol e calor e ele pode ter uma conjuntivite que vai se caracterizar por olhos vermelhos, coçando e lacrimejando. Lesões na pele causadas por exposição ao sol também são recorrentes, por isso é muito importante  usar o protetor solar.
Uma das principais doenças que podem atingir seu melhor amigo é a doença do verme do coração, ela é transmitida por mosquitos que tem preferência pelo litoral, o verme se aloja no coração do cão e é uma doença que também pode ser transmitida para humanos em quem o verme se aloja no pulmão, por isso só leve seu cão à praia se ele estiver com a vacinação em dia.


quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Atenção redobrada para um cão idoso

Os cães precisam de cuidados especiais de acordo com sua idade, portanto o cuidado com um filhote vai ser diferente  do cuidado com um cachorro adulto . Desta maneira, devemos prestar atenção aos seguintes conselhos sobre os cuidados com cachorros mais velhos:



A primeira coisa que você deve saber é que a velhice dos cães varia de acordo com seu tamanho, portanto, preste atenção neste fato, porque disto dependerá o momento em que se deve começar a ter cuidados especiais orientados a melhorar a qualidade de vida e prolongar a expectativa de vida do seu cão.

O que muda quando o cachorro fica mais velho?

“As visitas ao veterinário devem se tornar mais frequentes . Enquanto os cães mais jovens passam por avaliações anuais, os idosos precisam ter a saúde conferida a cada seis meses. Nessas consultas, exames de rotina para avaliar coração, rins, boca, olhos e conferir como andam os níveis de alguns hormônios são essenciais.

Quais são os problemas mais frequentes nessa faixa etária?
São quatro, e o melhor é que você pode prevenir a maioria deles ou, ao menos, evitar que avancem, diagnosticando cedo.

Alterações cardíacas: uma vida ativa e cheia de passeios faz muito bem à saúde cardíaca dos cachorros. Mesmo que seu animal tenha essa rotina saudável, com a idade não custa prestar atenção em sinais como tosse e respiração ofegante, que entregam doenças no peito.

Problemas ortopédicos: são mais diagnosticados em animais de grande porte, como labrador e rottweiler. Caso o quadro se agrave, com o tempo o bicho pode ter dificuldade para se levantar e se locomover.

Insuficiência renal: acomete com maior frequência raças de pequeno porte, como poodle e cocker spaniel. Com o envelhecimento, os rins deixam de funcionar como deveriam e acabam eliminando nutrientes essenciais. Se o animal perder o apetite, emagrecer rapidamente, passar a beber muita água e fizer xixi a todo momento, leve-o depressa ao veterinário.

Disfunção cognitiva: os cães com idade muito avançada às vezes sofrem de uma degeneração similar ao Alzheimer. Daí, se tornam lentos e distantes. O aprendizado e o treinamento que receberam ao longo da vida podem regredir consideravelmente.



Cachorro idoso cuidados: alimentação

Nesta parte, você deverá ter mais cuidado. A alimentação irá afetar tudo no seu cão , portanto, sempre siga as recomendações de um veterinário.
Cães idosos são menos ativos e têm mais propensão para engordar. A sua necessidade energética diminui 20%. Para evitar a obesidade, um mal que acomete um cão em qualquer idade, pode-se oferecer uma ração específica para cães idosos.
Além da ração especial, aumentar a oferta de fibras é uma boa ideia. Elas ajudam a regular o apetite, na saciedade e na eliminação de gordura.
Problemas de magreza excessiva também podem ocorrer com seu cão . Isto ocorre em decorrência da diminuição do olfato, o que acarreta na perda do paladar. Neste caso, deve-se oferecer alimentos bem saborosos. Para estimular ele a comer, também ofereça pequenas porções durante o dia, com mais frequência. E sempre comida fresca!

Como devem ser os passeios de um cachorro idoso
O cachorro idoso dorme mais horas do que um cachorro adulto,  ele necessita de passear e socializar como qualquer outro cachorro. Para isso, é importante que adapte o exercício físico à sua situação concreta, já que os cachorros que são muito velhos possuem uma atividade física reduzida, mas que deve ser mantida.
Recomenda-se  que os passeios sejam mais frequentes e  curtos (nunca superiores a 30 minutos), e que sejam feitos de manhã cedo, ou à tarde ao pôr do sol. Se se encontrar sob sol direto de meio dia, o cachorro pode sofrer de um calor excessivo e desnecessário. Passear com o cachorro ajuda a manter a sua musculatura e a controlar a obesidade, um fator de risco nessa fase. Pode praticar muitas atividades com um cachorro idoso.
Não esqueça que deve ter um cuidado especial caso o seu cachorro sofra de carências auditivas ou visuais. É mais sensível ao ambiente e, por isso, você deve ouvir ou ver por ele.
Por fim, é fundamental acrescentar que o dono deve estar atento e entender que o seu cachorro de idade avançada pode mostrar comportamentos diferentes nessa nova fase. Não puxe a sua trela nem o trate de forma desproporcionada, seja paciente como ele durante os passeios mesmo que ele caminhe de forma mais lenta ou, em alguns casos, não queira caminhar. Leve sempre umas guloseimas no bolso para motivar o seu cão .




segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Gato sem pelos, mas com estilo

Os “gatos sem pelos” ou “gatos pelados” são considerados exóticos. A raça Sphynx, também chamada de Gato Pelado Canadense, é muito parecido com o Gato Pelado Mexicano que é uma raça considerada extinta atualmente. Em 1966 surgiu o primeiro Sphynx, um gato doméstico deu a luz a um gatinho sem pelos no Canadá. A mutação que ocasionou o surgimento de gatos sem pelos é natural e comum em diversos países.



Os Sphynx são gatos desprovidos de pelos (hairless) e possuem características físicas bem diferentes dos demais felinos, é dona de uma personalidade que se parece mais com a de um cachorro que à de um gato. A pele do Sphynx é suave ao tato e sua temperatura interna é mais alta que em outras raças.

Aparência
Quem os vê pela primeira vez chega a assustar, pois o padrão de felinos (gatinhos) que as pessoas tem não condiz com o visual que os Sphynx apresentam, o Spynx é um gato de corpo musculado de aparência fina mas de ossatura forte.
Cabeça – Angulosa de forma triangular com a fronte plana e com rugas, maçãs do rosto bem salientes.
Nariz – Largo, curto e com stop bem definido ( o nariz direito é penalizado nesta raça ).
Olhos – Grandes em forma de limão, um pouco oblíquos, bem espaçados, e com um olhar muito expressivo.
Todas as cores são admitidas.
Orelhas – Grandes, quanto maiores melhor, bem afastadas e largas na base, com os bordos arredondados.
Patas - Devem ser longas, finas e musculosas, com os pés ovais de dedos longos, com almofadas bem espessas.
Pele – O mais nua possível, com uma textura que lembra a camurça ou a pele do pêssego, quente ao toque e muito agradável de acariciar, deve conservar rugas no pescoço, peito e patas.
Só são admitidos pelos na base das orelhas, nariz, ponta da cauda e testículos. (A falta de rugas também é penalizada em exposições.) Todas as cores e padrões são admitidos.
Ventre – Cheio e redondo, como depois de uma refeição farta.
Cauda – Longa e afilada.
Temperatura do corpo é em torno de 39ºC (Ser Humano é de 36ºC), dando a impressão de que estão com febre.


Vantagens dos gatos sem pelos




Uma vantagem desses gatinhos é que não soltam pelos na casa e não precisam ser escovados. Outro benefício é que dificilmente ficam com pulgas e no caso de ocorrer uma infestação desses parasitas é mais fácil identificar e tratar por causa da falta de pelos. Mas, como todos os animais, eles precisam de cuidados especiais.

 Cuidados especiais com os gatos sem pelos

 A higiene dos gatos deve ser feita todas as semanas e a rotina básica inclui: limpar as orelhas, cortas as unhas e, sim, tomar banho.

Banhos
Eles precisam de banhos mais frequentes do que as raças comuns. O banho deve ser 2 ou 3 vezes por semana e o recomendado é usar um shampoo especial próprio para gato sem pelo. Por não terem pelos, o corpo deles produz muita gordura que, se não for removida no banho, deixa rastros nos móveis e nos locais por ele passa.

Temperatura
Para manter a saúde dos gatos sem pelos é importante evitar as mudanças de temperatura para os gatos: a exposição por longos períodos no sol poderia causar graves queimaduras; a umidade ajuda na proliferação de fungos na pele do gato e o frio intenso pode ser evitado com roupas especiais para eles.

Alimentação
Uma dieta rica em calorias e proteínas ajuda a manter a temperatura corporal. Existem algumas rações preparadas especialmente para esses gatos de raça sem pelos, que ajudam que o gato mantenha o peso comendo uma dieta adequada para suas necessidades.

Cama
Na hora de dormir a caminha deles pode ser forrada com mantas macias e confortáveis para compensar a falta de pele. Eles poderiam raspar a pele na cama enquanto dormem causando feridas e alergias.



segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Porque cachorros grandes vivem menos que os pequenos

Quem ama os cães gostaria que eles vivessem para sempre…ou pelo menos nos acompanhassem durante toda nossa vida. Mas como todos  nós sabemos, a média de vida dos cães varia consideravelmente considerando a raça e o tamanho do cão
Uma combinação de fatores genéticos, metabólicos e evolutivos determinam que eles se desenvolvam mais rápido, mas também envelheçam mais rapidamente.


 Os cachorros de porte grande  crescem e se desenvolvem ainda mais rapidamente que os cães de raças pequenas.
Nestes animais, as células também crescem rapidamente, aumentando o risco de desenvolvimento de câncer.
Os cães de raças pequenas vivem mais tempo porque seu crescimento e divisão celular são mais lentos, diminuindo o risco de câncer e o próprio envelhecimento.
As taxas mais baixas do hormônio do crescimento também reduzem o risco de doenças relacionadas à idade e aumenta a expectativa de vida.


Veja a lista abaixo e descubra qual a expectativa de vida do seu cão.

Yorkshire terrier – 12 a 15 anos
Pastor alemão – 10 a 14 anos
Golden retriever – 10 a 12 anos
Beagles – 12 a 14 anos
Boxers – 11 a 14 anos
Dachshunds – 12 a 14 anos
Buldogues – 10 a 12 anos
Poodles – 10 a 15 anos
Shih Tzu – 11 a 15 anos
Schnauzer Miniatura – 15 anos ou mais
Chihuahuas – 15 anos ou mais
Pomeranos – 13 a 15 anos
Rottweilers – 10 a 12 anos
Pugs – 12 a 15 anos
Alemães ponteiros de cabelos curtos – 12 a 15 anos
Boston Terriers – cerca de 15 anos
Doberman Pinschers – 10 a 12 anos
Shetland Sheepdog – 12 a 14 anos
Maltês – 15 anos ou mais




segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Deve-se dar um animal de presente para uma criança?

Dar um animal como presente a uma criança pode ser muito bom e importante quando há um adulto responsável por perto que trate o animal quando a criança não o quiser mais. Não se deve dar  um animal como brinquedo para as crianças,  porque toda criança conforme vai crescendo tende a perder o interesse no que deixou de ser novo. Segundo porque assim como a criança, os animais crescem, fazem xixi, cocô, precisam de atenção, carinho e cuidados.

Sem contar que o triste mercado dos animais de raça ficam superaquecido em épocas de festas  onde dar presentes é um costume. Matrizes sofrem para gerar dinheiro aos canis de fundo de quintal, sem nenhum suporte médico, sem nenhum respeito por aquele ser vivo que simplesmente virou fonte de renda, quanto mais filhotes mais dinheiro.
Cios são induzidos um após o outro, a matriz vira uma fábrica, não demora muito está debilitada e as consequências de tanta maldade são visíveis a quilômetros de distância.
O que as pessoas precisam entender é que animal não é brinquedo, está longe de ser um objeto! Eles tem sentimentos, sentem fome, medo, frio. E também  precisam de atenção, um lugar confortável e aquecido para dormir, precisam de água limpa, comida de boa qualidade, vacinas, respeito e amor.
Se for para trazer um animal para fazer parte de sua família não compre, adote! Mas antes de adotar leia, entenda os prós e os contras.E se mesmo assim decidiu dar um animal de presente , aos seus filhos ,deverá ensinar a eles todas as necessidades e cuidados que o novo membro da família precisará.Tem que educar as crianças e fazer com que elas entendam que os bichinhos de estimação são seres vivos, que precisam de cuidados, atenção, carinho e que devem se  responsabilizar por eles.
As crianças devem sentir que são os cuidadores de seus animais, mesmo que os adultos estejam sempre à disposição, e devem lhes fornecer alimento, água, levá-los para passear e brincar suavemente com eles.

Qual animal escolher ?



Cachorro : Com certeza, se perguntarmos a alguma criança qual de todos os animais ela prefere, a resposta vai ser “um cãozinho”.
Isso se deve a que existe uma relação muito especial entre elas e os cachorros, porque são brincalhões e podemos lhes ensinar várias coisas, como sentar, dar a patinha, etc. Essas ações dão muita satisfação aos pequenos.
Em relação à escolha da raça, sempre é conveniente consultar qual é a mais apropriada para famílias com crianças, dependendo das necessidades.



Gato : O gato é outra boa escolha de bichinho de estimação para seus filhos, pois costumam ser carinhosos e brincalhões, além de não demandar tanto cuidado e atenção, como acontece com os cães; que devemos levar para passear, entre outras coisas.
O gato pode ficar em casa e sair quando quiser, a única coisa a considerar é não perturbá-los quando não quiserem brincar ou ser acariciados, pois eles podem ficar bravos.


quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Cuide dos seus bichos

Os animais de estimação trazem alegria a milhões de pessoas e também fazem bem para nossa saúde .Ser um dono responsável significa  cuidar bem do seu animal , suprindo todas as suas necessidades , não deixar agredir outras pessoas  e não prejudicar o meio ambiente .


Qual animal escolher ?

Ter um animal exige planejamento e muita dedicação . Antes antes de planejar trazer um animal para sua casa , faça a si mesmo as perguntas  a  seguir .

Todos da família estão dispostos a cuidar do animal  ?
Alguém dentro de casa sofre de alergias ?
Qual o tipo de animal se adapta melhor ao seu estilo de vida  e ao tamanho da sua casa ?
Você quem um animal jovem ou adulto ? Filhotes necessitam de mais atenção .
De quantos exercícios  seu futuro animal vai precisar ?
Que tipo de raça  se dá melhor  com  crianças ?
Você conseguirá arcar com as despesas a longo prazo , como alimentação, veterinário e segurança ?

Busque o máximo de informação que puder sobre as  características e necessidades de cada raça. Há muitos sites informativos na internet .

Hábitos saudáveis




As fezes de animais contem parasitas que podem contaminar pessoas .Existe  várias maneiras de se evitar  uma contaminação .
Quando passear com seu cachorro , fique de olho e tente evitar que ele faça necessidades  em calçadas , nas praças, praias  e perto de ralo . Recolha as fezes  do cão com um saco plástico  biodegradável  ou uma pá apropriada .
Lave a caixa de areia regularmente ou use desinfetante  de baixa toxicidade  para matar germes . Prefira as areias sanitárias  biodegradáveis  e ecológicas  . Ou você pode forrar a caixa do seu gato com jornal .



sábado, 7 de janeiro de 2017

Periquito Australiano ( Melopsittacus Undulatus )

Origem : Austrália 
Características : Conhecido pelos aborígenes por betcherrygah ( boa comida ) , é também chamado de Periquito Ondulado ou Periquito Zebrado .
De sua coloração original , verde claro com cabeça amarelada , originaram-se várias mutações selecionadas e hoje podemos encontrar mais de 200 variações de cores.
Reprodução : Os machos possuem a saliência acima do bico ( carúncula ou cera ) de cor azul e as fêmeas  de cor rosa . As fêmeas colocam até 6 ovos por vez , sendo que o período de incubação gira em torno de 18 dias .

Manutenção : Gaiola espaçosa com um ninho  tipo caixa ( 22  cm x 11 cm x 11 cm ) com fundo côncavo . Abrigar de correntes de vento e permitir banhos de sol pela manhã.
Alimentação : Sementes: alpiste,painço,aveia,sementes de milho,etc.
Verduras: Espinafre,chicória,almeirão,couve,(de mais preferências para as folhas mais verdes,pois é um sinal que está maduro e rico em nutrientes.)
Frutas: Maçã,banana,laranja em pedaços sem casca e miolo,pois essas partes contem muito acido prejudicial a ave.




sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Dicas para melhorar a relação entre o cão e o carteiro

Quem nunca ouviu a frase “cachorro não gosta de carteiro?” É muito comum e parece ser realidade, tanto que já teve campanha dos Correios pedindo ao morador para facilitar o local de entrega de correspondências para que seja evitada a aproximação do carteiro ao cão.


A relação entre cães e carteiros é uma das mais comuns entre as que geram problemas para os proprietários  de cães. Embora muitas pessoas considerem que esse comportamento seja normal para proteção territorial, ele pode provocar graves acidentes também. E é nossa responsabilidade zelar para que nosso cão não machuque esses profissionais, nem qualquer outra pessoa.

Atenção aos Carteiros

Carteiros enfrentam diariamente situações de risco com cão . Para se proteger , alguns cuidados são importantes:
1- Nunca proteja o corpo , a mão ou o braço para dentro de um imóvel sem ter certeza de que não há animais.Aproxime-se sempre com cuidado , pois os cães podem estar escondidos atrás de folhagens ou muros .
2-Nunca provoque um cão com gritos , gestos ameaçadores ou barulhos altos! A sua presença já é uma ameaça ou estímulo para o cão ficar agressivo .
3- Mesmo um cão preso , caso provocado , pode se soltar e causar sérios  problemas !
4- Quando há animais soltos , evite passar próximo a ele .
5-Fique atento , fêmea com filhotes e animais machucados ou com medo são potenciais agressores .
6-Nunca confie num cão desconfiado, por menor ou mais inofensivo  que ele pareça.
7-E caso de perigo , proceda conforme orientação da empresa de correios para registrar a impossibilidade de realizar a entrega da carta , Não coloque sua saúde e sua vida em risco !



Responsabilidades do dono do cão

1- Esteja alerta para evitar que seu cão ataque outras pessoas ou animais.
2-Em casa , sinalize a presença de animais com uma placa " Cão Bravo ".
3- Instale a caixa de correspondência junto  ao portão , grade ou muro .
4-Ao passear com seu cão , use sempre coleira , guia e focinheira.
5- O cão não pode ser responsabilizado pelos seus atos . A responsabilidade é sempre do proprietário!
6- O  responsável  pelo animal que esteja solto ou guardado sem o devido cuidado responde civil  e criminalmente  por qualquer dano que ele cause a outra pessoa .
7-O cão aprende a se comportar como você permite .Cuide para ele ser um bom companheiro !
8- Se seu cão apresenta um mau  comportamento , procure  um profissional  ( Adestrador de cão ).




quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Dicas saudáveis para educar seu cão







Mantenha  seu cão sempre dentro de casa , jamais solto  na rua, todo cão precisa passear ,mas sempre
usando coleiras / guia  e levado por alguém que consiga segurá-lo.
Cuide da saúde do seu animal : ele precisa de abrigo , alimento, banho, vacina, e acompanhamento de um veterinário.
Dê atenção , carinho e ambiente adequado a ele.
Nunca seja violento com seu bicho . Violência  não educa !
Se preciso , procure adestramento ,mas respeite as características de cada animal .
Assim como maus tratos , muito mimo também pode prejudicar seu cão .Deixe claro o que ele pode ou  não fazer , por exemplo : chame atenção quando subir nos móveis ou lugares proibidos . Sem limites , ele pode achar que domina o dono.
Se você não pode cuidar de mais filhotes ,castre os machos e fêmeas para evitar ninhadas.A castração é a única forma de evitar novas crias e não tem contraindicações.Consulte um médico veterinário de confiança.




quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Como cuidar dos dentes do pet

Levar para passear, alimentar, dar água, brincar, limpar, encher de carinho… Quem tem cão e gato sabe de cor a lista de cuidados necessários com seus bichinhos. Pouca gente, porém, se lembra da higiene bucal, que também deve ser diária e é essencial para a saúde de cães e gatos . Assim como nós, eles precisam ter os dentes escovados todos os dias.


Como eu sei se a gengiva dele está saudável?

Ela deve ser uniforme e ter a mesma altura em toda a boca – escondendo a raiz, mas sem ultrapassar o meio do dente. Não pode estar inflamada nem sangrar com facilidade.

Por que limpar os dentes do meu pet?
Sabe aquela placa amarela que você já deve ter visto na boca de alguns cães e gatos? Aquilo é tártaro. Do tártaro pode ocorrer o famoso “bafo de onça”, uma infecção na boca e levar bactérias para os outros órgãos do organismo, como fígado e coração. Pode até matar! Além disso, têm as doenças comuns nas bocas como a gengivite e a periodontite.
Como o cão o gato  não tem como enxaguar a boca de cuspir, a sua pasta de dente é especial e pode ser ingerida. nunca  use a pasta de dentes humana, pois pode fazer mal ao cão e gato.

Quando começo a escovar os dentes do meu pet?
Quando ele ainda é filhotinho. Quanto mais cedo, mais fácil será de acostumá-lo com esse procedimento. Além disso, é uma maneira de você criar mais intimidade com o pet e de aumentar ainda mais a relação de confiança entre vocês.

Como fazer isso?

Cachorro


Escolha um lugar tranquilo e reserve um tempo para a atividade;
Pegue o seu peludo e os materiais e vão para esse espaço da casa que é mais calmo;
Por três dias apenas passe um pouquinho da pasta dentro da boca dele;
Depois desses 3 dias, por 5 dicas coloque um pouquinho de pasta no dedo e massageie a gengiva do cão, com cuidado. Faça isso por uns 10 segundos;
Lembre-se de sempre deixa-lo a vontade, faça carinho e deixe que ele entenda que esse é um bom momento entre vocês;
Passados esses 8 dias iniciais, comece a usar a dedeira. Vá aos poucos. Esfregue um pouco da boca e se ele relutar, o deixe brincar, no dia seguinte esfregue o outro canto da boca e vá aos poucos, até que ele aceite melhor o procedimento;
Pare sempre antes de ele ficar irritado. Aos poucos ele vai se acostumando;
Sempre use pouca pasta e depois que ele já tiver se acostumado, faça a escovação duas vezes por semana.
Se seu cão for adulto já, pode ser que a tarefa fique um pouco mais difícil, afinal, ele não está entendendo o que está acontecendo. Tenha calma.

Gato



Acostumar o gatinho a ter os dentes escovados desde filhote como dito antes  é a melhor forma da paz reinar em seu lar e o procedimento se tornar um hábito. Caso seu bichano demonstre certa aversão ao ato de escovar os dentes, não faça nada na marra para não traumatizá-lo. Vá por etapas:
 converse com seu gatinho e trate-o com todo carinho do mundo durante todas as etapas;
 nos primeiros dias, acostume-o a ter a boca manipulada por você usando seu próprio dedo molhado com algum alimento que seu gato goste muito (pode ser o caldo dos sachês de ração úmida, por exemplo) e esfregue sua gengiva e dentinhos levemente, com movimentos circulares;
 depois que ele aceitar o procedimento acima, comece a fazer a mesma coisa mas, desta vez, com uma gaze envolvendo seu dedo (sempre umedecida com água ou caldinho de sachê ou similares);
 a terceira etapa é introduzir a escova de dente na vida do seu gatinho, deixando ele brincar com o objeto, mordendo e lambendo as cerdas para se acostumar com a textura (pode colocar comidinha nela também);
 em seguida, apresente o creme dental para o seu gatinho  você deve utilizar uma pasta de dente específica para animais, vendida em lojas especializadas
 caso seu bichano aceite melhor, no lugar da escova, você também pode usar dedeiras feitas especificamente para higiene oral de cães e gatos;
 faça o procedimento uma vez por dia, todos os dias, para todo o sempre.
Sempre leve o seu cão  e gato ao médico veterinário para uma avaliação. Algumas vezes, a remoção das placas se faz necessária por esse profissional.